Você sente paixão pelo que?

job kid

Foto: Pensiero

    Aproveito esse domingo de Páscoa para compartilhar algumas ideias e lições que aprendi sobre Paixão.

    Segundo o etimologista Arthur Watkins, a palavra paixão surgiu no século 12 cunhada por estudiosos cristãos e significa sofrer. No seu sentido mais puro descreve a disposição para sofrer como Cristo.

“Embora tenha se tornado popular definir paixão como amor profundo ou romântico, o verdadeiro significado é estar disposto a sofrer pelo que ama. Quando descobrimos pelo que estamos dispostos a pagar o preço, descobrimos nosso propósito e missão pessoal”. (Kevil Hall)

   Talvez você possa reconhecer tarefas, objetivos e sonhos em que ao se engajar em sua realização a sua qualidade da sua vida e daqueles ao seu redor aumentaria drasticamente.

    Quais esforços na sua vida tem valido a pena? Pelo que você acredita que vale pagar o preço?

    Paixão tem relação com sacrifício que, na melhor definição que conheço, significa: Abrir mão de algo, mesmo algo bom, por algo melhor. Curiosamente, na percepção daquele que o realiza, esse sacrifício não é  visto como puro sofrimento, pois acredita que seu esforço vale a pena.

    Se você sente dificuldade em perceber ou imaginar algo pelo qual sente paixão, essa é uma oportunidade para refletir sobre:

  • O que é mais importante para você e para as pessoas com as quais se importa.
  • O que dá sentido a sua vida.
  • O que é dispensável.

    A medida que nos engajamos com paixão e carinho nesse processo de descoberta e crescimento pessoal, ganhamos confiança no modo como vivemos e nossas ações e escolhas se traduzem cada vez mais em sentimentos de realização.

Sinta-se livre para comentar suas reações e pensamentos.

Obrigado. Continue por perto. (=

Luiz Guilherme Pacheco Littig

Anúncios

O que é perfeito.

2060974024_e34f58f4ca_b

Texto original escrito por Marc.

Homens perfeitos tem músculos grandes? Mulheres perfeitas tem seios grandes? Casais perfeitos têm muitos filhos? Os maridos perfeitos ganham mais de R$ 15 mil por mês? Esposas perfeitas cozinham pratos deliciosos?

As pessoas perfeitas têm muitos amigos? As pessoas perfeitas têm uma grande experiência de vida? As pessoas perfeitas nunca falham?

Sim! Pode apostar que sim! Tudo isso e muito mais.

Homens perfeitos são magrelos. Homens perfeitos lutam contra a obesidade. Homens perfeitos mal podem fazer uma flexão. Homens perfeitos têm problemas nas costas que os impedem de levantar objetos pesados. Homens perfeitos só nasceram com um braço.

Mulheres perfeitas têm seios pequenos. Mulheres perfeitas têm seios falsos. Mulheres perfeitas fizeram redução de seios. Mulheres perfeitas têm seios ainda em crescimento. Mulheres perfeitas perderam ambos os seios para o câncer.

Casais perfeitos têm um filho. Casais perfeitos têm dez filhos. Casais perfeitos adotam porque, clinicamente, eles não podem ter seus próprios filhos. Casais perfeitos adotam, mesmo quando eles podem ter os seus próprios. Casais perfeitos não tem filhos porque não os querem.

Maridos perfeitos são pais que ficam em casa. Maridos perfeitos têm empresas multimilionárias. Maridos perfeitos são agricultores migrantes. Maridos perfeitos mudam de carreira aos 50 anos. Maridos perfeitos não têm ideia do que eles querem fazer da vida.

Esposas perfeitas não cozinham porque estão muito cansadas ​​quando chegam em casa do trabalho. Esposas perfeitas só sabem fazer comida italiana. Esposas perfeitas odeiam cozinhar, embora elas sejam boas nisso. Esposas perfeitas são chefs em restaurantes de luxo. Esposas perfeitas fazem miojo.

Pessoas perfeitas são introvertidas com dois amigos íntimos. Pessoas perfeitas são extrovertidas, com 500 amigos no Facebook com quem se comunicam com regularidade. Pessoas perfeitas saem com seus amigos do coral. Pessoas perfeitas têm amigos famosos. Pessoas perfeitas têm um melhor amigo de quatro patas.

Pessoas perfeitas têm viajado e vivido em todo o mundo. Pessoas perfeitas ainda têm o que explorar em sua cidade natal no interior. Pessoas perfeitas ainda vivem em casa com seus pais. Pessoas perfeitas estão felizes onde estão. Pessoas perfeitas não descobriram como chegar onde querem ir.

Pessoas perfeitas tentam uma centena de vezes e perdem a esperança. Pessoas perfeitas alcançam sucesso em sua primeira tentativa. Pessoas perfeitas não gostam de admitir quando falham. Pessoas perfeitas veem o fracasso como uma oportunidade de crescimento. Pessoas perfeitas nunca falham porque eles nunca se estendem além de suas zonas de conforto.

Pessoas perfeitas têm cicatrizes no rosto e complexos de perfeição. Pessoas perfeitas têm cabelos longos castanhos aos 60 anos e cabelos curtos e grisalhos aos 35. Pessoas perfeitas usam perucas. Pessoas perfeitas fazem sexo com homens, mulheres, ambos ou com nenhum deles. Pessoas perfeitas mal conseguem ver sobre o balcão da mercearia e às vezes batem a cabeça na batente superior das portas. Pessoas perfeitas têm cinturas que são infinitas em tamanho e geometria. Pessoas perfeitas têm tons de pele claro como sorvete de baunilha e tão escuro quanto chocolate amargo.

Pessoas perfeitas vêm de todos os cantos deste lindo planeta e podem ser vistas em toda parte – até mesmo no espelho.

Sim! Exatamente!

Perfeito é como nascemos. Perfeito é como somos agora. Perfeito é ser exclusivamente único.

Nós somos o que perfeito é.

Continue por perto. =]

Luiz Guilherme Pacheco Littig.

Foto: Amsterdamned!

Sobre o blog

reach

Foto: p a w e l

Esse blog é escrito para você, meu amigo, meu familiar, meu colega de mundo que não tive o prazer de conhecer. Penso em você quando eu escrevo – e escrevo de coração.

Agradeço muito as pessoas que têm me ajudado: Mãe, pai, avós, tios, tias e amigos do Espírito Santo, de Belo Horizonte e do mundo. O que de bom eu vivo e faço é possível graças a vocês. Espero conseguir retribuir de algum modo.

Esse blog não é uma tentativa de dizer o que você deve fazer para ser feliz.

O objetivo do blog Ar Psicológico é:

  • Compartilhar e debater ideias cuja compreensão possa nos ajudar a lidar melhor com nós mesmos, um com o outro e com as situações a nossa volta.

    Toda e qualquer mudança nesse sentido fará o trabalho valer a pena.

    O sucesso desse objetivo depende de 3 fatores:

1. A precisão das ideias.

Posso estar enganado em algo que penso.

Por isso, Sua opinião e ajuda é muito importante.
Entre em contato!

2. A eficiência da comunicação.

Busco explorar novas abordagens e me comunicar de modo a facilitar a leitura e compreensão. Alguma sugestão?

Faça sua parte:

  • Procure ler quando estiver mais disposto.
  • Pense em exemplos pessoais durante a leitura.
  • Concentre-se no que está fazendo e se esforce para compreender.
  • Releia os artigos após um crescimento pessoal ou quando estiver numa situação desafiadora/relacionada ao tema – a experiência da leitura pode ser muito melhor.

3. A manutenção do estado mental.

Alguma vez você se sentiu muito bem após ouvir uma música ou ler certa frase, mas, depois, voltou a estar como antes?

Fique tranquilo. Em breve, postarei um artigo abordando a questão.

Sempre que achar necessário, procure ajuda profissional.

Entre em contato

talk
Foto: Beth Crawford 65

Sua opinião e ajuda é muito importante!
Entre em contato.

  • Acredita que podemos melhorar em algo? Fale.
  • Recomende artigos, textos, livros, filmes, músicas e etc.

Se preferir, mande um e-mail para arpsicologico@hotmail.com

Muito obrigado!

Livre-se da ilusão das obrigações

”Estou aprisionado na rotina.”
”Tenho que fazer isso…”
”Preciso fazer aquilo…”

chained

Foto: TerraNik

E se, ao invés disso, tivéssemos opções e pudéssemos escolher fazer o que achamos trazer mais benefícios?

Na maioria dos casos, nós podemos. =]
Você tem mais liberdade e poder de escolha do que imagina.

  • Realizar uma tarefa é uma escolha quando há a possibilidade de fazer outra coisa, se quisermos. E, quase sempre, há.

  • Você vai querer fazer essa tarefa, se ela for a que tem os melhores benefícios.

O que acontece, é que, frequentemente, nos enganamos ao separar uma ação de sua consequência natural.

Continuar lendo

Por que não adianta tentar fugir dos problemas

Provavelmente, há, ou ainda haverá, alguém ou alguma situação na sua vida te incomodando.

Digamos que seja um chefe incompreensível, que não te escuta e não leva nada do que você diz em consideração. Mudar de emprego ou tornar-se dono do próprio negócio parece ser uma solução adequada. Por que não?

aloneFoto:Georgia Wiggs

Porque, como mostrado anteriormente, o problema não está “lá fora”. Ele é causado por uma percepção distorcida a respeito de algo ou alguém.

O problema está dentro de você.
A solução também.

O mundo está cheio de pessoas com dificuldades em comunicar-se e lidar com os outros. Cedo ou tarde, pode aparecer outra pessoa “incompreensível” em sua vida com quem também terá tantos, ou até mais, problemas: Um chefe, colega, namorado(a)/cônjuge ou mesmo um filho ou neto que ainda nascerá.

Por outro lado, se você melhorar sua capacidade de comunicação, poderá lidar e conviver muito melhor com as pessoas. Até mesmo com as mais “difíceis”.
Isso pode ser feito. Em breve, te mostrarei como. Aguarde.

friends

Foto: Torrie

Observação: Sim, você tem o direito de querer sair de um emprego ou relacionamento. Antes dessa decisão, porém, tenha certeza que está fazendo isso porque realmente acredita que pode encontrar algo muito melhor e não porque está tentando fugir de um problema criado pela sua dificuldade em lidar com as situações e pessoas – o que pode ser corrigido.

Obrigado. Continue por perto. =]

Luiz Guilherme Pacheco Littig.

Os 3 modos de lidar com os problemas

control

Foto: Lumatic

Segundo Stephen R. Covey, os problemas que enfrentamos encaixam-se em alguma dessas 3 categorias:

  • Controle direto: Somos capazes de resolver sozinhos. Não é necessária a participação de outra pessoa.
  • Controle Indireto: É preciso a ajuda de outras pessoas. Nesse caso, a solução está em sua capacidade de se comunicar.
  • Controle Inexistente: Não conseguimos interferir. Nesse caso, a solução está em aprender a sorrir, a aceitar de modo genuíno e pacífico e a conviver com a situação.

E se eu realmente precisar da ajuda de alguém e essa pessoa simplesmente não quiser ou não puder cooperar?

Talvez você não esteja se comunicando de modo apropriado. Possivelmente você é capaz de mudar isso, então pode ser considerado de Controle Direto: Você é capaz de encontrar um modo de se comunicar melhor e, então, obter cooperação. 

Se realmente não for possível fazer com que ela te ajude então o controle é inexistente e a solução está em você aprender a aceitar genuinamente.

Tenha muita atenção para não confundir uma situação com outra. Certifique-se de que o controle é realmente como parece ser.

Máxima contida na oração dos Alcoólicos Anônimos:

“Senhor, dai-me a coragem para mudar as coisas que podem ser mudadas, a serenidade para aceitar as coisas que não podem ser mudadas e a sabedoria para distinguir uma das outras.”

Falarei mais sobre como proceder em cada uma dessas situações em outros posts.

No momento, o importante é perceber que:

“Sempre que achamos que o problema está “lá fora”, este pensamento em si é o problema”.

O primeiro passo para a solução de um problema, seja de controle direto, indireto ou inexiste, está ao nosso alcance.

Seja modificando nossos hábitos e comportamento, modificando nossos métodos de comunicação ou modificando o modo como vemos a situação de controle inexistente, a solução está sempre em nós mesmos.

Você não precisa se sentir uma vítima. A sua capacidade para lidar com as situações ao seu redor é incrível e maior do que imagina.

Pergunte-se:
“De quais modos posso fazer algo a respeito?”

Como esses problemas foram criados e como resolvê-los?

Há alguém na sua vida que não está agindo como deveria e te causando problemas por isso?

Pense nisso por um momento

blame

Foto: Diana Luu

Essa é a percepção que você tem dessa pessoa e de como ela deveria ser, o modo com a vê, a sua compreensão a respeito dela e do que seria a causa de um seus problemas.

Você já sentiu que estava absolutamente certo sobre algo ou alguém e depois descobriu que estava muito enganado? 

Compreendemos o mundo e nós mesmos não como realmente são, mas por meio de uma série de pressuposições – as lentes pelas quais enxergamos.

lens 1

Foto: sandyx3

É especialmente quando sentimos estar absolutamente certos que corremos mais risco de estarmos enganados – e na maioria das vezes estamos.

Nesses casos há um duplo engano:

  • Estamos enganados em nossa percepção a respeito do fato e
  • Estamos enganados ao pensar que estamos certos.

É aqui que a maioria de nossos problemas começam.

Quando assumimos que simplesmente estamos vendo as coisas exatamente como são, nós:

  • Deixamos de questionar se realmente são o que parecem ser.
  • Paramos de aprender
  • Ficamos a mercê dos nossos enganos e dos problemas que eles causam.
  • Assumimos que a causa do problema está lá fora e assim perdemos a capacidade de resolvê-lo.

Pense em como estar enganado pode gerar sofrimento e fazer com que nossos atos e decisões tendam a ter consequências desastrosas:

  • Achar que um problema não tem solução, quando, na verdade, ela está ao nosso alcance.
  • Julgar a si mesmo ou outros como culpado, quando, na verdade, não teve culpa.
  • Pensar que perdemos ou que não temos algo que precisamos muito, mas que, na verdade, é desnecessário.

Por outro lado, ter uma percepção mais apurada a respeito de nós mesmos e da situação traz benefícios inimagináveis.

Mas como saber se estamos enganados sobre algo/alguém?

Aquilo que mais nos incomoda tende a ser justamente aquilo que vemos de modo mais distorcido.

O próximo passo então é:

  1. Identificar aquilo que mais nos incomoda.
  2. Identificar e esclarecer as pressuposições que temos a respeito do fato – as lentes pelas quais estamos vendo-o.
  3. Questionar nossas pressuposições até obter uma melhor compreensão, uma visão mais nítida. No fim, você verá que, geralmente, é bem o contrário do que pensamos ser inicialmente.

blurred

Foto: massimo|care

Você conseguirá lidar muito melhor com a pessoa/situação assim que compreendê-la melhor. Continue comigo e eu te ajudarei nessa tarefa.

Luiz Guilherme Pacheco Littig

Nosso desafio

thinking

Foto: Ana Cuba       

Ouça as vozes:

”A vida é tão exigente e estressante.” 

”As vezes, me vejo deixando de lado a família, minha saúde e bem-estar
e estando envolvido com outras tarefas menos importantes.”

”Não me entendem. Sou mal compreendido.”

“Sinto um vazio por dentro. Está faltando alguma coisa.”

”Estou cheio de dificuldades e de pessoas me causando problemas.
Elas deveriam mudar, mas não fazem isso.”

“Se ao menos as coisas e pessoas não fossem assim… “

Essas são as vozes de milhões de pessoas. Você se identifica com alguma delas?

Entendo que você esteja com algum desses problemas e que a solução pareça estar fora do seu alcance.

Como Albert Einstein disse:

"Os problemas significativos com os quais nos deparamos não podem ser resolvidos no mesmo nível de pensamento em que estávamos quando eles foram criados".

Também não podem ser resolvidos com medidas paliativas ou drásticas e é improvável que se resolvam sozinhos ou tentando fugir deles.

Eles requerem um novo nível de compreensão sobre nós mesmos e a situação ao nosso redor.

Isso pode ser feito.

“Dentro de você, neste exato momento, está o poder de fazer coisas que você nunca sonhou que fossem possíveis. Esse poder se torna disponível para você assim que você muda as suas convicções.”

(Dr. Maxwell Maltz)

Esse é o nosso desafio.

Continue comigo e eu vou te ajudar a encontrar mais equilíbrio e soluções em sua vida; haverá muito mais sentido e entusiasmo em viver; seus relacionamentos serão fortalecidos e dotados de significado e a mudança será duradoura.

Cliquei aqui e descubra como esses problemas foram criados e como resolvê-los.

miracle

Foto: andrew evans.

Luiz Guilherme Pacheco Littig